19 novembro, 2006

Calibã

Calibã é uma personagem, de William Shakespeare, em A Tempestade. É considerado um escravo selvagem, e deformado. É tratado com desdém e alvo de chacota por parte dos outros. No entanto, Calibã tem um dos mais expressivos discursos da peça:

«Não tenhas medo; a ilha está cheia de ruídos,
Sons, doces melodias, que deleitam sem ferir.
Por vezes sons agudos de mil instrumentos
Zumbem aos meus ouvidos; outras vezes são vozes
Que me fazem adormecer mesmo quando desperto
Após um prolongado sono. E então, em sonhos,
Parece-me que as nuvens se abrem mostrando riquezas
Prestes a cair sobre mim, e, quando acordo,
Desespero por adormecer de novo.»

in A Tempestade, Campo das Letras, P. 96

1 comentário:

meu nome é Calibam, mas... disse...

Atitude louvável. Calibã é um dos personagens mais complexos de Shakespeare. E é engraçado, pois em "A Tempestade" não lhe reservado nenhum papel relevante; Como coadjuvante congloba o todo e o tudo da obra, do autor e do mundo em geral. A beleza interna comparado a sua feiúra são dignos de um tratado de fenomenologia sartriana, considerando hodiernamente nossas "modelos", celebridades, photoshops, big-brothers, dançarinas de funk e toda essa casta que nos premia por aí. Abraços ao idealizador do projeto.